sexta-feira, 13 de junho de 2008

Irish Coffee, please!

Conta-se que a bebida (com café, uísque irlandês, açúcar e chantilly) foi inventada na década de 40 do século passado, numa zona portuária, servindo para aquecer os passageiros chegados da América do Norte via Atlântico. Era, assim, um confortozinho… tal como o podem ser os resultados irlandeses, provavelmente partilhados por muitos europeus que não tiveram oportunidade de se pronunciar sobre o Tratado que sobrevoa a Europa.
E, aqui, chegamos ao ponto. Os irlandeses disseram “não” ao designado Tratado de Lisboa. Assim se vê a razão pela qual os pressurosos governos não quiseram que os respectivos povos se pronunciassem quanto ao Tratado.
Fica a Europa melhor? Fica a Europa pior? Sopre o vento para o lado que soprar, o certo é que o Tratado teria merecido uma abertura para explicação, clareza e partilha com os povos, ao invés de se transformar numa discussão de políticos apenas, mais parecendo que existe uma Europa para os políticos e outra para os cidadãos!Era escusado ter-se chegado a esta lição, que mais serve aos decisores da via não referendária! Era escusado deitar foguetes antes da festa! Era escusado ter ouvido o nosso Primeiro-Ministro a apostar a sua carreira política neste Tratado, como ainda há dias sugeriu! Era escusado confundir o porreirismo com o direito de os povos dizerem “não”! Era escusado ter sido dada tão grande prova de desconfiança nos eleitores!

1 comentário:

pcsolotto disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.